Classes Reconhecidas - Dingue

Histórico: O Dingue é o primeiro veleiro monotipo (com regras definidas) projetado e construído no Brasil. Foi idealizado em 1978 pelo engenheiro naval carioca Miguel Pomar para ser um veleiro de baixo custo ideal para passeios de fim de semana e em família, mas que também pudesse ser utilizado em regatas e competições.
Em pouco tempo a idéia tornou-se um sucesso e os proprietários se organizaram para realizar as primeiras regatas da nova Classe. Em 1979 realizou-se o primeiro campeonato de Dingue, na Baía da Guanabara e já em 1981 realizou-se o primeiro Campeonato Brasileiro também no Rio de Janeiro.
Em 1993 o Dingue deixou de ser fabricado e a Classe, então, parou de exercer quaisquer atividades.
Após um longo período de inatividade, o Dingue voltou a ser produzido, em 1998, pela empresa de construção naval, Holos Brasil, que passou a ser, também, a grande incentivadora da Classe no País e responsável, em pouco tempo, pelo ressurgimento das competições e pelo prazer de se velejar Dingue.
Em toda a sua história, já foram vendidos mais de quatro mil e trezentos Dingues para a maior parte dos estados brasileiros, incluindo alguns sem tradição náutica como Minas Gerais, Pará e Sergipe. Recentemente, chegaram os primeiros Dingues a Portugal.
A Associação Brasileira da Classe Dingue – ABCD, reconhecida pela Confederação Brasileira de Vela, foi fundada em 24 de junho de 2003 com a finalidade de, sempre em parceria com a Holos Brasil, promover e melhor organizar as atividades do Dingue no País através de um calendário anual de regatas, seminários, palestras, encontros, etc.

Especificações:
Numero de tripulantes:2
Projetista: Miguel Pomar
País de Origem: Brasil
Material do casco: Fibra
Projetado no ano: 1978
Comprimento do casco: 4.16 m
Boca: 1.66 m
Pontal: 0.48 m
Área Vélica: 6.50 m
Pedo do casco: 85 kg

Avisos

SOBRE

FEVERJ - Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro é a única entidade esportiva autorizada a organizar e realizar regatas e enventos náuticos no estado do Rio de Janeiro.
© 2019 FEVERJ - Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro